Pular para o conteúdo

Câncer de mama emagrece?

    Emagrecer é algo frequente durante o tratamento de câncer, mas exige extrema cautela. A perda de peso em pacientes com essa doença pode impedir o sucesso do tratamento. Ou seja, é crucial consumir alimentos que atendam às necessidades do organismo.

    Continue lendo este conteúdo para entender melhor como o câncer de mama pode fazer uma paciente emagrecer!

    Por que é possível que um paciente com câncer perca muito peso?

    Por várias razões, é possível que o desenvolvimento dessa doença resulte em emagrecimento não intencional. Na maioria dos casos, o estado psiquiátrico ligado ao diagnóstico de câncer causa a redução do desejo de comer.

    Em certos casos, o local onde está o tumor dificulta a alimentação, como tumores que obstruem a digestão regular de alimentos pelo trato digestivo, como aqueles que afetam o esôfago, o estômago e os intestinos, tanto indireta quanto diretamente.

    Algumas consequências do tumor, como a retenção anormal de líquidos no abdômen, tornam mais difícil a tolerância de alimentos em boas quantidades. Há alguns cânceres que provocam uma redução na expressão do apetite.

    O paciente não tem desejo de comer e não sente fome. Do mesmo modo, existem tipos de cânceres que provocam uma deficiência nutricional por conta própria.

    Há também efeitos colaterais gastrointestinais do tratamento da doença que prejudicam o paciente temporariamente, dificultando a alimentação como diarreia e enjoos.

    Como resultado, contribui para a perda de peso durante o tratamento, talvez levando a níveis graves de desnutrição conhecidos como caquexia.

    A perda de peso leva à desnutrição

    É fundamental que o paciente e os seus familiares entendam que a perda de peso progressiva reduz a resistência do corpo a infecções, assim como a tolerância aos tipos de tratamentos.

    Dessa forma, quando se mantém um peso saudável, é possível tolerar mais facilmente os tratamentos para combater a doença. Quando há uma perda significativa de peso, a caquexia pode se tornar irreversível.

    Portanto, é crucial que o paciente, sua família e os médicos entendam que a desnutrição se inicia antes do emagrecimento; depois que um paciente perdeu 10%, 20% ou 30% de seu peso, o processo geralmente é irreversível.

    É necessário enfatizar a importância de estar atento às mudanças na alimentação a partir do começo do tratamento, levando em consideração a quantidade e a qualidade dos alimentos consumidos e tendo os cuidados necessários para evitar uma grande perda de peso.

    A criação de dietas que apoiem o ganho de peso e que seja do gosto do paciente, tentar fracionar as refeições em uma série de pequenas porções durante o dia respeitando o limite de ingestão diária do paciente são boas estratégias para combater à caquexia.

    Assim como o uso de suplementos nutricionais completos, que podem conter nutrientes para o tipo de doença. É preciso ter cautela para que a dieta relacionada ao câncer não se torne fonte de sofrimento para o paciente e sua família.

    Como não perder peso se a pessoa não quer comer?

    A preocupação mais comum entre os portadores de câncer sobre à alimentação é, sem dúvida, quanto a redução de apetite. Para combatê-la, será preciso optar por alimentos que sejam do agrado do paciente, ou que ele deseje naquele momento.

    Também é importante atentar para a tolerância de uma pessoa para diferentes sabores, aromas e consistências, adaptando-se ao que ela pode comer no momento.

    Alimentos com maior densidade calórica e/ou teor proteico devem ser priorizados. Além disso, o paciente deve respeitar quaisquer restrições impostas pela clínica ou quaisquer condições pré-existentes.

    Diabetes, hipertensão, diarreia, vômito ou qualquer outro problema do sistema digestivo, por exemplo. Além de optar por alimentos mais naturais e de alta qualidade em detrimento de alimentos ultra processados.

    Outra maneira de lidar com a redução da fome é comer quantidades menores com mais frequência no decorrer do dia. Ao invés de três grandes refeições, a paciente pode fazer seis:

    • Café de manhã;
    • Lanche de manhã;
    • Almoço;
    • Lanche de tarde;
    • Jantar;
    • Ceia.

    Alimentos mais adequados

    Alimentar-se bem durante o procedimento é fundamental, pois ajuda a paciente a lidar melhor com as consequências. Uma das regras mais importantes é consumir diferentes tipos de alimentos no decorrer dos dias.

    Não há qualquer alimento que possua todos os nutrientes essenciais e, para manter a saúde do corpo, uma dieta deve incluir porções dos grupos alimentares logo abaixo:

    • Frutas e vegetais: são fontes de vitaminas e minerais que o corpo precisa;
    • Alimentos à base de proteínas: as proteínas ajudam na regeneração do corpo e no combate às infecções. Carnes em geral como peixes, aves, além de ovos, leite, iogurte e queijo, fornecem não apenas proteínas, mas também muitas vitaminas e minerais. Assim como presentes em massas, e arroz, que em sua maioria, fornecem carboidratos e fibras. Carboidratos são fontes de energia que são necessárias para o bom funcionamento do corpo;
    • Laticínios: proteínas, vitaminas e minerais são encontrados no leite e seus derivados, sendo o cálcio o mais abundante e crucial para o nosso corpo.

    Recomenda-se que a paciente tente comer de tudo um pouco, em uma dieta saudável e equilibrada. Isso evita que o organismo tenha de usar outras fontes de energia, como a massa muscular.

    Há uma vasta gama de suplementos nutricionais disponíveis no mercado, tanto para doentes com câncer como para o público em geral. São ótimas opções para completar a nutrição que pacientes com câncer tendem a precisar.

    Conclusão

    A perda de peso é comum em pacientes com câncer e, em muitos casos, o primeiro sintoma da doença. Após o diagnóstico de mamografia e classificação bi-rads, 40% das pessoas têm perda de peso inexplicável e mais de 80% das pessoas com câncer avançado emagrecem.

    A perda de peso está ligada à fadiga, fragilidade, perda de energia e incapacidade de completar as tarefas diárias. Muitas vezes, as pessoas que sofrem de desnutrição são incapazes de administrar seu tratamento e desenvolvem sintomas graves.

    Portanto, a alimentação adequada também é vital para combater o câncer de mama e aumentar as chances de cura! E não deixe de compartilhar este conteúdo com os seus amigos!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.