Pular para o conteúdo

Conflitos em condomínios: Como resolver

    conflitos em condomínios

    Conviver nem sempre é fácil. Ainda mais em condomínios, que contam com espaços compartilhados de convivência e em que o número de moradores pode chegar a valores consideráveis, podendo ser comparável a cidades muito pequenas. Nesses casos, saber lidar com conflitos em condomínios é muito importante.

    Não se trata de apenas evitá-los, mas também saber o que fazer quando eles acontecerem – porque, uma hora ou outra, eles vão acontecer – preservando a convivência e proporcionando melhores ambientes, estruturas e estruturas a todos.

    É papel do síndico mediar essas discussões e trabalhar para que o ambiente seja o mais harmonioso e o clima o melhor possível. Para isso, existe a chamada gestão de conflitos.

    Você pode conferir os detalhes desse tipo de gestão, os motivos mais comuns para discussões de condomínio e dicas para resolvê-las no texto a seguir.

    O que é gestão de conflitos?

    Chamamos de gestão de conflitos um conjunto de métodos e técnicas práticas para gerenciar situações de discordância.

    A gestão de conflitos é uma forma de resolver impasses entre pessoas ou grupos, reduzir o impacto negativo deles e torná-los produtivos, encontrando meios e soluções que atendam a diferentes demandas.

    Por exemplo: uma discussão sobre problemas problemas na automação de ar condicionado pode motivar o síndico a consertar ou comprar novos equipamentos.

    Um conflito é um choque entre forças opostas ou opiniões divergentes. Onde há um grupo de pessoas, há conflito. Contudo, o conflito pode ser saudável, se trabalhado adequadamente para propor novas soluções, com criatividade.

    Ou seja: por maior que seja a simpatia entre um grupo de condôminos, sempre pode haver espaço para algum tipo de situação de conflito.

    É aqui que surge a necessidade de adotar medidas para lidar com esse tipo de problema.

    Vale lembrar que a gestão de conflitos não serve apenas para esse contexto. Muitos escritórios de despachante online campinas usam essa ideia como política de Recursos Humanos, inclusive.

    Quando gerenciados de forma eficaz e adequada, os conflitos podem se transformar em excelentes oportunidades de aprendizado e crescimento pessoal e profissional.

    O que causa conflitos em condomínios?

    Morar em um condomínio tem muitas vantagens, mas nem sempre é fácil. A proximidade com os vizinhos muitas vezes pode causar alguns problemas.

    Discussões e atritos entre moradores não são incomuns, mas é preciso saber que, se o assunto não for tornado público, como casos que precisam ser debatidos em assembleia, pode prejudicar o local e a boa convivência dos outros habitantes.

    Por isso, listamos aqui os maiores problemas que geram conflitos na administração de condomínios residenciais, para ajudá-lo a identificar e evitar situações problemáticas. Veja!

    1. Animais de estimação

    Até recentemente, manter animais de estimação era proibido em muitos condomínios. No entanto, após muita polêmica, foi decidido que não se pode impedir isso.

    O tema continua a alimentar discussões e é motivo frequente de brigas entre moradores.  

    As queixas mais frequentes são relacionadas a latidos, uso de áreas comuns para animais e uso (ou falta de uso) de focinheiras.  

    É importante que o condomínio tenha regras estabelecidas para esse tipo de situação. Com o apoio de regras de boa convivência, as duas partes saberão quais são os limites aceitáveis.

    1. Ruídos

    Reclamações de ruído são extremamente frequentes. Isso porque existem muitos motivos diferentes para reclamar, como:

    • Móveis sendo arrastados;
    • Conversas muito altas;
    • Objetos caindo no chão;
    • Música alta.

    No entanto, esses ruídos geralmente são normais durante o dia e não podem ser totalmente evitados.   

    Isso vale tanto para os moradores quanto para eventuais reparos no condomínio, como elevadores residenciais em bh.

    1. Automóveis

    Carros são campeões em provocar conflitos. Afinal, é difícil reagir com equilíbrio se outro automóvel danifica o seu no estacionamento ou atrapalha a sua passagem.

    Além disso, ao contrário do que muitos pensam, não são só brigas por vagas que são os principais motivos de conflitos envolvendo automóveis. 

    Em condomínios maiores, alguns problemas muito parecidos com cidades acontecem. Isso inclui  alta velocidade, acidentes por negligência e danificação de outros veículos.

    Em todo caso, reclamações desse tipo são bem comuns e, por isso, o síndico deve estar preparado para resolver o conflito.

    Vale ressaltar que em muitos casos são aplicadas regras de trânsito dentro de condomínios maiores. Seja como for, é essencial que esses locais tenham regras bem definidas para mediar tais conflitos. 

    1. Canos e tubulações

    Só quem já passou por um problemas de infiltração sabe como esse problema causa uma baita dor de cabeça para o síndico e moradores. Em edifícios mais antigos, os defeitos de encanamento demoram a ser percebidos.

    Para não ter esse tipo de problema, o síndico deve ficar atento ao período de manutenção preventiva, para evitar custos imprevistos para o condomínio.

    A responsabilidade do gerente pela prevenção e reparo do encanamento é limitada às partes comuns do edifício.

    Quando o vazamento acontece em um apartamento, o proprietário é responsável por organizar os reparos.

    1. Crianças

    Todo mundo já foi criança: tocar campainhas em todos os apartamentos, correr pelas escadas, parar elevadores em todos os andares, andar de bicicleta em áreas impróprias…

    Apesar de simpáticas, brincadeiras desse tipo podem atrapalhar muito o dia a dia dos moradores adultos.

    Por esse motivo, é importante que o administrador fique ciente disso para poder contemplar todos os condôminos, desde aqueles que não tem filhos até quem tem uma família grande.

    Além disso, é muito importante estabelecer regras para o uso do parquinho, brincadeiras em espaços como o hall dos elevadores e barulhos fora do horário. Os pais precisam educar seus filhos para que eles respeitem as regras. 

    Dicas para a gestão de conflitos

    Você já teve um pequeno vislumbre das principais razões para conflitos entre moradores.

    Conhecendo as causas mais recorrentes, resta entender como resolvê-las sem grandes dificuldades.

    Confira dicas para fazer isso abaixo. Os tópicos também servem como uma espécie de consultoria para abrir empresa de administração de condomínios.

    Crie um canal de comunicação

    Normalmente, os condomínios possuem um canal onde os moradores podem conversar, sugerir melhorias, fazer reclamações e dar sugestões.  

    É mais recomendável usar um aplicativo que permita a criação de canais que só podem ser acessados ​​por proprietários e inquilinos em conflito

    Isso permite que eles tenham mais privacidade e cheguem a um acordo sem a interferência de terceiros.

    Saiba coibir a inadimplência

    Outro problema sério que é uma causa comum de discussões entre condôminos a inadimplência deve receber a máxima atenção do síndico, pois afeta diretamente o orçamento do condomínio.

    Como primeiro passo, é fundamental identificar rapidamente o problema, evitando que o residente se torne um devedor permanente e compreendendo os motivos da dívida.

    A partir da primeira dívida, avise o morador e, se possível, encontre-o para um bate-papo amigável.  

    A introdução de condições especiais de negociação pode ser discutida na reunião. Nunca publique o nome dos inadimplentes, para evitar constrangimentos.

    Contar com um software de gestão especializada facilita o processo de cobrança, o que contribui para a redução da inadimplência.  

    Se nenhuma solução simples e “amigável” produzir resultados, o caminho a seguir é buscar uma ação legal.

    Esclareça as regras

    Certifique-se de que as regras internas sejam completas, objetivas e claras. Isso pode ser feito deixando cópias desses documentos nas áreas comuns, transmitindo-os em canais de mídia e explicando as regras nas assembleias.

    Essa dica vai ajudar os moradores a terem menos dúvidas quanto ao comportamento deles, se estão infringindo ou não as regras.

    Inclusive, em períodos de cabeamento de rede residencial, todos devem ficar cientes sobre como devem se portar e onde podem ou não podem circular.

    Mais do que boa convivência, é uma ação essencial para garantir a segurança e a integridade física de todos os condôminos.

    Seja imparcial

    O síndico deve ter facilidade para se relacionar e, assim, garantir sempre o melhor para seus moradores.

    A primeira qualidade desejável é a empatia, o que significa ser capaz de se colocar em ambos os lados de uma discussão e entender os motivos de cada um, buscando uma solução amigável para ambos os envolvidos.

    Outra qualidade é a resiliência, ou seja, a capacidade de resolver problemas sem se abalar emocionalmente.

    Isso significa que você não pode agir com raiva, por exemplo. Não importa qual foi a atitude do inquilino, seu relacionamento com os moradores ou a causa do impasse.

    Com essas qualidades, você poderá ser mais justo e profissional na resolução de conflitos, além de criar um clima de harmonia entre os moradores.

    Invista nas crianças

    A instalação de câmeras nas áreas comuns do condomínio ajuda a garantir a harmonia do local. No caso de crianças levadas, os pais ou responsáveis ​​devem ser notificados.

    Os pequenos precisam de espaço para gastar energia, é claro. Duas sugestões são presenteá-las com brindes em atacado e criar espaços de entretenimento, mesmo que sejam cômodos adaptados. 

    A biblioteca de brinquedos ou sala de jogos é fácil de implantar. Outra dica é criar a imagem do síndico mirim como forma de incentivar o senso de responsabilidade e cooperação nas crianças pequenas.

    Disponibilizar itens de decoração lúdicos e estrutura, como muro de arrimo no saguão, é outra forma de promover um ambiente mais acolhedor para elas.

    Esteja à disposição dos moradores

    Os síndicos devem estar sempre dispostos a ouvir as reclamações dos moradores. No entanto, para evitar que os inquilinos procurem por auxílio à noite ou em horários inconvenientes, defina um horário específico para o atendimento.

    Outra dica é disponibilizar um e-mail ou canal exclusivo para reclamações e sugestões.

    Negligenciar a gestão de conflitos pode piorar os problemas. Por exemplo, o ruído excessivo não resolvido pode criar uma inimizade real entre vizinhos

    O cuidado que o gestor tem com a gestão garante uma melhor qualidade de vida aos moradores, além de evitar que os problemas se agravem. Mas é preciso utilizar ferramentas que apoiem a administração e permitam a abertura de canais.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.