Pular para o conteúdo

Conheça as maiores dúvidas ao alugar um carro

    Nos últimos anos, o Brasil apresentou um crescimento considerável em termos de produtos, serviços e soluções que antes não faziam parte do repertório. Essa mudança vai desde a hora de escolher o que comer até como alugar um carro.

    No caso da locação de veículos, as dúvidas podem ser muitas, o que na verdade reflete não um problema ou aspecto negativo, mas justamente o fato de que esse serviço pode preencher uma série de necessidades e demandas pessoais.

    Na verdade, também existe a demanda profissional, como uma empresa de transporte de cargas que decidisse alugar um automóvel para um de seus funcionários, fosse ele da operação ou do setor interno de estratégia e afins.

    Mas o nosso foco aqui recai sobretudo na pessoa física, que decide alugar um carro para passar um fim de semana longe de casa, fazer uma viagem especial, um simples bate e volta ou mesmo para sanar algum problema pessoal.

    Em todos esses casos, as preocupações costumam ser as mesmas, uma vez que a questão está no processo que é preciso fazer para conseguir sair da locadora com o carro. O que implica as exigências da empresa, sem dúvida, mas também os critérios do locador.

    Afinal, ao alugar um veículo certamente você vai querer que a bateria de carro 60 amp funcione bem, em vez de deixar o carro parado em qualquer estrada do país. O mesmo vale para todos os demais acessórios e funcionalidades do automóvel.

    Por isso, também estão em jogo as exigências e expectativas do locador, o que equilibra os pratos da balança. De modo que se a empresa faz várias exigências e checagens antecipadas, você também deveria ler as qualificações dela na internet.

    Já existem até plataformas digitais e aplicativos que ajudam justamente na hora de fazer isso, levantando o histórico da empresa. Às vezes, o que pesa não é tanto um probleminha ou outro, o que pode ocorrer, mas a postura na hora de resolver um problema.

    Por exemplo, se alguém reclama que precisou parar para fazer um conserto ar condicionado, já que ia precisar dele funcionando e não tinha como ir até a locadora antes do compromisso, o mínimo que se espera é que ela faça o reembolso do valor gasto.

    Além disso, ela também pode ressarcir o locatário por meio de promoções e até disponibilizando algumas horas ou dias gratuitos para desfrutar dos serviços de locação. Em suma, quando a empresa sabe sanar uma crise, tudo fica bem.

    Também por este motivo criamos este material, trazendo aqui as maiores dúvidas e respostas que podem surgir na hora de fazer a locação de um automóvel, além dos requisitos para isso e dos benefícios que você pode encontrar nesse serviço.

    Os requisitos iniciais

    É claro que existem diversas lojas fazendo a locação de carros, o que automaticamente significa que pode haver uma gama enorme de regras, exigências e requisitos.

    Ao mesmo tempo, também é possível falar em alguns que são praticamente universais, de modo que todas as locadoras vão acabar passando por ele, de um modo ou de outro.

    O maior exemplo é a questão da idade, que na verdade nem depende da loja, mas sim de um fator constitucional e legal, atrelado a toda uma parte jurídica e de serviços de certificação que a empresa presta perante a própria lei do nosso país.

    De fato, segundo o Código de Trânsito Brasileiro, nenhum cidadão pode dirigir veículos se tiver menos de 18 anos de idade. Contudo, ainda podemos falar de lojas que exigem um período maior de experiência, como 12 ou 24 meses.

    Neste caso, a pessoa precisaria ter pelo menos 19 ou 20 anos completos para poder tirar o carro em seu nome, do contrário não conseguiria. Outras exigências comuns são:

    • Apresentar uma CNH (Carteira de Habilitação) válida;
    • Ter cartão de crédito com limite proporcional e previsível;
    • Apresentar um comprovante de residência recente;
    • Levar cópias de documentos como RG ou CPF.

    Enfim, são exigências tipicamente burocráticas e que não fogem muito da normalidade da contratação de outros serviços em território nacional.

    A grande diferença está justamente na convergência entre as leis de trânsito, as regras da empresa e as expectativas do locador.

    Sem falar em casos específicos, como a locação por parte de PCDs (Pessoas com Deficiência), que podem exigir a apresentação de uma cnh deficiente físico.

    Do mesmo modo, por enquanto é um pouco mais difícil encontrar soluções nessas áreas, haja vista que quase sempre os carros precisam ser adaptados para esse público. Mas já é bastante vantajoso poder contar com essa possibilidade.

    O tipo de cobrança

    Uma dúvida muito comum ao alugar um veículo é a questão dos valores, até porque com certeza a maioria das pessoas procura uma solução positiva em termos de custo-benefício.

    De fato, a preocupação faz sentido, pois além de haver mais de um tipo de cálculo para cobrança, também é comum ver pacotes promocionais que tornam o serviço bem mais atraente, como pegar por um dia a mais e baratear o custo geral.

    Basicamente, a principal fórmula é a das diárias, cuja cobrança é essencialmente baseada em uma carga horária. O cuidado que isso pede é que a devolução funcione mais ou menos como no caso de hotéis, em que passar alguns minutos faz girar a cobrança total.

    Sendo que eles controlam isso com aplicativos ou mesmo com um computador novo, de modo que ao dar baixa você pode se surpreender de ver que outra diária completa será cobrada, por causa de alguns minutos de atraso.

    Outra forma de cobrança é a da quilometragem, que na verdade pode ser mista. Ou seja, é possível fechar com base na diária com quilometragem livre, ou então com a carga horário em cruzamento com a quilometragem controlada.

    O caso misto pode favorecer quem vai fazer a locação para viagens curtas, de modo que uma quilometragem baixa pode reduzir bastante o valor total da cobrança.

    Já quem vai rodar muito, o ideal é que pague um pouco mais caro na quilometragem livre, mas com a certeza de que não vai se surpreender com o valor final na devolução.

    Ou seja, o grande segredo é ficar de olho no risco de ter que pagar alguma taxa extra, seja de quilômetro rodado ou de outros serviços. Como o fato de ser um dia útil, um fim de semana ou mesmo um feriado, o que também impacta diretamente na cobrança.

    O seguro e a caução

    Alguns podem se surpreender com isso, mas nem sempre quem se responsabiliza por acionar ou não a seguradora do veículo no ato da locação é o locatário. Ou seja, não basta sair dirigindo para estar assegurado, é preciso prestar atenção nisso.

    Então, é fundamental perguntar e ler o contrato para ver se o automóvel conta com os famosos seguros automáticos, também chamados CDW e LWD.

    No primeiro caso, temos uma sigla para Collision Damage Waiver, ou seja, Renúncia aos Danos de Colisão. No segundo caso, LDW significa Loss Damage Waiver, ou Renúncia aos Danos de Perdas.

    Também é esse contrato que determina o tipo de uso do veículo. Afinal, se você vai fazer uma carga de açaí revenda, certamente que isso precisa ser declarado, pois o uso para a ser comercial.

    Sobre a caução, trata-se de um valor que fica retido pela locadora, como garantia de que o veículo será devolvido e o contrato será contemplado integralmente.

    Hoje em dia, esse valor não precisa ser no dinheiro ou em cheque, mas necessita de um cartão de crédito, pois a empresa consegue fazer o bloqueio da caução perante a administradora. Na devolução, o desbloqueio é feito de modo igualmente prático.

    Motoristas e fronteiras

    Por fim, uma dica de ouro é você montar um roteiro detalhado de tudo o que será feito com o veículo, mesmo que a locadora não exija isso, por ser algo pessoal.

    Isso ajuda não apenas a evitar imprevistos, mas também já define outros dois pontos essenciais na hora de fazer a locação, sendo um deles o dos motoristas.

    Poucas pessoas se lembram de questionar isso, mas, tecnicamente, só o locador que assina o contrato pode dirigir o veículo. Para adicionar outras pessoas, é preciso declarar o nome de cada uma e apresentar, igualmente, documentos e cartão de crédito delas.

    Isso é importante sobretudo por conta da questão de fronteiras. A maioria das locadoras não permite sair do país com o carro, mas há algumas que não só permitem, como realmente se encontram em vários países.

    Nesses casos, é ainda mais importante declarar um motorista adicional, pois é bem provável que uma só pessoa não consiga cumprir toda a jornada planejada.

    Conclusão

    O serviço de locação de carros oferece uma série de vantagens e facilidades, desde que a pessoa saiba planejar antecipadamente e interpretar o contrato e as condições.

    Se preciso, pegue um bloco de anotações atacado e tome nota das principais dúvidas, para não esquecer de esclarecer tudo antes de sair da loja com o carro.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.