Pular para o conteúdo

O que é inventário? Como funciona e como fazer?

    Leia este artigo até o final e você aprenderá sobre: os Herdeiros do seguro de vida: quem fica com o dinheiro?, e sanar outras vidas também

    Quando um ente querido morre, de maneira instantânea todo o seu patrimônio seja bens, dívidas ou direitos passam a ser uma única coisa, e essa é transferida para os herdeiros de forma imediata.

    Assim, para que tudo seja feito de forma legal, é necessário fazer um inventário desse patrimônio.

    Nesse artigo você vai saber o que é um inventário, como funciona, e também como fazer de forma correta.

    Confira!

    O que é?

    Ele é um processo obrigatório que tem como objetivo oficializar o ato de transferir os bens da pessoa que faleceu para seu herdeiro.

    Para entenderum pouco mais sobre este assunto, você pode entrar em algum site que seja um simulador de seguro de vida, e fazer uma simulação simples.

    O inventário pode ser tanto judicial, como também extrajudicial, e após todo o processo é que é possível fazer a partilha de bens.

    Dessa forma, o herdeiro só terá acesso a herança deixada, após a realização do processo de inventário e partilha.

    É importante que você verifique, antes de dar entrada no inventário, se todos os documentos estão corretos, observando principalmente se os mesmos tem erros ou não.

    Um exemplo de análise seria na grafia do sobrenome da pessoa falecida, é importante verificar se não tem erros, letras sobrando ou faltando.

    Se houver algum problema, o menor que seja nos documentos do inventário, é possível que na hora de dar entrada tenha-se problemas.

    Como afirmamos acima, há dois tipos de Inventário, o Judicial e os Extrajudicial.

    JUDICIAL

    Esse é o mais conhecido, e ocorre por meio da justiça, podendo ele ser consensual e litigioso.

    Consensual

    Nesse, por mais que se tenha um consenso entre os herdeiros, ele deve ocorrer de maneira judicial, pois a pessoa que faleceu deixou um testamento.

    Dessa forma, as partes envolvidas devem fazer o inventário perante um juiz.

    Litigioso

    Nesse caso, não há um acordo ou consenso entre as partes que irão herdar os bens. Nesse tipo de inventário, o testamento pode ou não existir.

    O inventário judicial ocorrerá, caso: o herdeiro ser menor ou incapaz, ter testamento existir ou os herdeiros não entrarem em consenso.

    EXTRAJUDICIAL

    Esse tipo torna o processo de inventário mais rápido e menos estressante, evitando uma grande quantidade de processos no âmbito jurídico.

    Nessa modalidade é preciso que todos os herdeiros estejam de acordo com a partilha dos bens, não exista testamento e além disso as pessoas herdeiras deverão ser capazes e maiores.

    Dessa forma, para que um inventário extrajudicial possa acontecer, basta que as partes envolvidas tenham um advogado  e estejam de acordo.

    Demora e Custos

    Normalmente um inventário da modalidade judicial deve se encerrar em um período de até 12 meses após o início do processo.

    Porém, dependendo da situação, esse prazo pode ser prolongado pelo juiz. Sendo assim, é possível encontrar inventários que demoram anos para serem encerrados.

    Na modalidade extrajudicial, o processo é mais rápido, e um dos motivos é o consenso das partes interessadas.

    Cada processo é específico, dessa forma dependendo da situação, os custos relacionados ao inventário podem variar.

    Porém alguns custos são padrão, como por exemplo: Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação ( ITCMD), Custas Processuais, Emolumentos de Cartório, Registros no Cartório e Honorários Advocatícios.

    Como funciona?

    Para iniciar um processo de inventário, é preciso você seguir alguns passos que iremos apresentar abaixo.

    1. Contrate um advogado;
    2. Verifique a existência de um testamento;
    3. Verifique o patrimônio;
    4. Faça a escolha entre o inventário extrajudicial ou judicial;
    5. Escolha o inventariante;
    6. Se existir dívidas, faça a negociação;
    7. Decida como será a partilha dos bens;
    8. Pague os impostos necessários;
    9. E por fim, emita o Formal de Partilha ou então a Escritura Pública;

    É dessa forma que funciona um inventário e esses são os passos que devem ser seguidos.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.