Pular para o conteúdo

Óleo do Motor: Saiba a hora de trocar de acordo com a quilometragem

    óleo do motor

    O óleo do motor é um item fundamental para o funcionamento do veículo e sua substituição é obrigatória. Depois de um tempo em uso ou de alcançar determinada quilometragem, é fundamental fazer sua troca.

    Isso acontece porque o óleo perde suas propriedades enquanto o carro funciona, portanto, quando está muito velho, começa a prejudicar o funcionamento do motor.

    A troca de óleo é um procedimento simples, mas, mesmo assim, pega muitos condutores de surpresa e a negligência nesse processo traz muitos prejuízos para o automóvel.

    A função do óleo é proteger as peças do motor, reduzindo o atrito entre elas. Quando ele está velho, as peças começam a enferrujar, acumulam sujeira e demoram mais tempo para esfriar.

    Quando está ultrapassado, não tem condições de cumprir essas funções, e é o motorista quem vai pagar o preço pelo descuido. Aos poucos, formam-se borras, perda de potência e o motor pode fundir.

    É de responsabilidade do proprietário do veículo cuidar desse aspecto, por isso, vamos explicar quando é o momento certo de trocar o óleo, o que acontece se passar do tempo e como escolher o tipo de óleo certo.

    Quando fazer a troca do óleo do motor?

    A troca de óleo do motor deve ser feita de acordo com as orientações do fabricante, o que geralmente depende de uma quantia de quilometragem ou do tempo de uso.

    Por exemplo, o fabricante pode determinar que o óleo deve ser trocado após 5.000 km ou depois de 6 meses de uso, o que vier primeiro. Ou seja, se você já rodou mais de 5.000 km com o veículo e faz 3 meses que trocou o óleo, precisa providenciar a troca.

    Agora, se já faz 6 meses que trocou, mas só rodou 3.000 km, também está na hora de trocar novamente.

    As peças do motor são diferentes de um corrimão em aço galvanizado, pois não possuem essa proteção e o atrito entre elas pode provocar ferrugem.

    Ao longo do tempo, o motor acumula resíduos, por isso, é muito importante trocar o filtro de óleo. Caso contrário, a sujeira pode contaminar o novo lubrificante.

    De qualquer forma, é fundamental seguir as orientações da montadora, uma vez que ela sabe todos os cuidados que o proprietário precisa ter com o veículo, então, sempre consulte o manual.

    Quando o uso do automóvel é severo, o intervalo de troca deve ser menor, principalmente para veículos que circulam diariamente em grandes cidades.

    Andar e parar o tempo todo por conta do tráfego ou dirigir apenas distâncias curtas são exemplos de uso severo e ele pode contaminar o óleo.

    Ou seja, tanto uma pessoa que dirige poucos quilômetros quanto um motorista que viaja constantemente com o carro precisam cuidar da lubrificação do motor.

    Como exemplo de uso severo está uma pessoa que liga e desliga o carro várias vezes ao longo do dia, por outro lado, um veículo de transporte que roda longas distâncias sem interrupção é considerado como uso leve.

    Riscos ao passar do tempo da troca

    Uma confecção de uniforme eletricista nr10 risco 1 e 2 que entrega suas mercadorias no país todo utilizando a própria frota, precisa se atentar ao prazo de troca.

    A função do óleo é lubrificar o motor e impedir que seus componentes se desgastem. Com base nisso, não é difícil prever o que acontece se você passar muito tempo depois da troca.

    Em outras palavras, esse produto tem papel fundamental no funcionamento do carro, pois quando o motor está limpo, na temperatura ideal e sem fazer barulhos, não corre riscos de parar, e isso se deve ao lubrificante.

    Se ele passa do prazo de validade, começa a provocar falhas, então cedo ou tarde algum problema mais grave vai aparecer.

    O uso de itens novos no carro, como bateria moura clean 170 amperes, é fundamental para manter a qualidade do funcionamento, mas isso não significa que o óleo deve ser deixado de lado.

    Procrastinar a troca pode gerar desgaste prematuro dos componentes do motor, e os problemas vão se agravando na medida em que a troca é adiada. Ignorar a manutenção preventiva pode simplesmente fundir o motor, um prejuízo terrível para o bolso.

    O motor é o item mais caro dentro de um carro e seu valor pode simplesmente extrapolar o orçamento de muitas pessoas, portanto, compensa muito mais investir na troca de óleo do que gastar para fazer um motor novo.

    Sinais que é hora de trocar o óleo do motor

    Existem alguns sinais de que é o momento de trocar o óleo do seu carro, inclusive, se ele ainda não atingiu a quilometragem mínima ou está a menos de 6 meses em uso. Os principais indícios são:

    • Barulho ao ligar o motor;
    • Vibração em marcha lenta;
    • Aceleração fraca;
    • Luz acesa no painel;
    • Motor com barulho de batida.

    Lavar o carro com jateamento com água e mantê-lo sempre limpo é fundamental, mas nunca devemos nos esquecer de outros cuidados importantes.

    Quando o óleo está sujo e contaminado, se torna mais viscoso, portanto, move-se com dificuldade entre as embreagens. Consequentemente, demora mais tempo para circular no motor e causa um ruído na hora de dar a partida.

    O condutor também pode sentir uma vibração anormal quando está engatado em marcha lenta, e isso acontece porque o atrito entre os pistões, anéis e mancais, intensificam a vibração do motor.

    A lubrificação também serve para que ele opere de maneira suave, mas quando o óleo está muito desgastado, não consegue cumprir essa função. Consequentemente, a força diminui e a aceleração é mais lenta.

    Quando a luz do óleo se acende no painel, é fundamental se atentar e trocar o lubrificante o quanto antes. Por fim, se ele estiver com um ruído de batida, provavelmente está nas últimas.

    É necessário procurar uma oficina mecânica de confiança o quanto antes e é bem provável que seja necessário fazer a retífica.

    Como escolher o óleo certo

    Proprietários de frotas cuidam de todos os assuntos relacionados aos caminhões, como um scanner caminhão diesel, mas a troca de óleo é sempre uma das prioridades na lista.

    Só que antes de se dirigir ao posto ou comprar qualquer óleo, é fundamental saber escolher o produto certo, caso contrário, trará ainda mais problemas.

    O motorista pode se deparar com várias siglas, como ILSAC, SAE, PCMO, SN, 5W30, e todas elas determinam o tipo de óleo e o órgão que o certificou como um bom lubrificante para o motor.

    Quem conhece essas siglas terá mais facilidade em identificar o óleo certo, e existem uma série de normas que devem ser respeitadas pelos fabricantes, inclusive em relação à embalagem dos produtos.

    Assim como uma empresa de conserto de compressor de ar comprimido precisa seguir algumas diretrizes, os fabricantes também precisam proteger os interesses dos consumidores em relação ao preço, qualidade e oferta.

    É fundamental ler as informações sobre viscosidade, performance e para qual aplicação o lubrificante foi desenvolvido. Além disso, consulte o manual para saber o tipo de óleo que o carro precisa.

    Isso porque muitas montadoras criam motores para produtos desenvolvidos especificamente para eles. Este óleo é conhecido como genuíno, portanto, verifique se este é o caso do seu automóvel.

    De qualquer forma, é possível escolher entre o sintético, semissintético e mineral. O óleo sintético apresenta um bom desempenho e é considerado o produto mais avançado.

    Ele ajuda a economizar combustível e é menos consumido pelo motor, portanto, é mais resistente à oxidação e protege o motor na partida.

    A troca de bateria para caminhão é importante, mas esse tipo de veículo também precisa do lubrificante certo.

    Outra opção é o óleo semissintético, que mistura o mineral e o sintético, trazendo um desempenho melhor que o mineral e um custo mais acessível que o sintético.

    O óleo mineral é básico e é obtido por meio da destilação de petróleo, e por essa razão, sua performance é um pouco menor. Entretanto, é mais barato, mas as trocas precisam ser feitas em intervalos menores.

    Só que antes de basear a escolha na qualidade ou no preço, consulte o manual do fabricante, se mesmo assim tiver alguma dúvida, é fundamental procurar a ajuda de um profissional da sua confiança.

    Um bom profissional pode avaliar o tipo de óleo usado no veículo e indicar a melhor opção para a compra.

    Considerações finais

    O óleo do motor é um produto necessário para qualquer equipamento que tenha motor e engrenagem, como no caso de um braço robótico operacional industrial.

    Com o motor do carro não é diferente, pois suas peças também precisam ser lubrificadas para que funcionem adequadamente.

    Atente-se ao prazo de troca para não prejudicar o funcionamento do veículo e ter problemas ainda maiores no futuro. Trata-se de um procedimento simples, mas que faz toda a diferença para o seu carro.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

    Marcações:

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.