Pular para o conteúdo

Saiba como transportar o seu Pet com segurança durante uma viagem

    pet

    Hoje em dia, quando chegam os períodos de férias, feriados ou fins de semana, é cada vez mais comum uma pessoa fazer questão de levar seu pet consigo, tanto para não deixá-lo sozinho em casa quanto para garantir que ele se divirta e tenha bons momentos também.

    Independentemente se a viagem é de carro, avião ou ônibus, sempre há um jeito de conseguir levá-los, afinal, os animais de estimação se tornam parte importante da família.

    Mas para garantir que o pet faça uma boa viagem, é necessário conhecer cada regra do meio de transporte que será utilizado para garantir que ele tenha o máximo de conforto possível e não acabe tendo uma má experiência.

    Neste artigo, explicaremos melhor a importância de transportar seu pet com segurança nas viagens, sejam elas em família ou não.

    Além de mostrar algumas dicas para garantir a melhor experiência de viagem para o seu peludo, desde a necessidade do uso do cinto de segurança automotivo próprio para o pet até outras questões não conhecidas. Acompanhe!

    Por que é importante transportar seu pet com segurança?

    Datas como Natal e ano novo são conhecidas como períodos comuns de tirar férias, sejam elas escolares ou no trabalho, e é comum planejar aquela viagem bacana em família.

    As famílias que têm pets e optam por levá-los em seus destinos, devem se atentar a algumas questões importantes na hora de planejar a viagem, como se estivessem em uma auto gestão de frota. São exemplos:

    • Se o local que vai ficar é pet friendly;
    • Se o animal está saudável para viajar de avião ou carro;
    • Quais cuidados tomar para garantir sua segurança;
    • Se está levando os itens necessários para o pet.

    Mas, dentre todas, a preocupação principal é sobre a segurança do pet na hora da viagem. Garantir a segurança é importante para não ter surpresas indesejadas no meio do caminho e garantir que o seu bem-estar esteja sendo priorizado.

    É essencial, por exemplo, garantir que o cão não fique solto dentro do veículo no caso de uma viagem de carro, porque além de se tratar de uma infração de trânsito, pode acabar causando algum dano ao animal se uma freagem rápida precisar ser feita.

    Ou também em casos de pets que enjoam e passam mal em transportes, portanto, sejam eles aviões ou carros com laudo cautelar e ecv, é indicado levá-lo a uma consulta veterinária.

    Apenas para garantir que ele está apto para fazer o roteiro, mesmo que ele seja de um curto período. Além de para que o especialista indique as melhores decisões a se tomar quanto à saúde e segurança do animal doméstico.

    Essas e muitas outras questões são vitais para garantir que o pet viaja com o máximo de segurança possível, tendo uma experiência agradável e relaxante com bons momentos.

    Dicas para viajar com seu pet

    Mesmo que seja uma viagem para a praia, serra ou montanha, os cuidados necessários para levar seu pet junto permanecem os mesmos, assim como a revisão e restauração de carros que estão prestes a serem colocados na estrada.

    Além disso, para garantir uma viagem segura tanto para a família quanto para o pet, o motorista deve estar 100% focado na estrada, sem pensar em outras preocupações.

    Por isso, o pet deve estar devidamente preso e protegido no caso de uma colisão ou outros tipos de acidentes que possam ocorrer no percurso de carro.

    Independente do tipo de viagem, é essencial conhecer as regras, que podem ser alteradas em caso de aviões, carros ou ônibus. Ou seja, as regras vão depender das companhias aéreas ou das rodovias e estradas onde o veículo irá passar.

    A seguir, listamos mais algumas dicas importantes para garantir que seu bichinho faça uma boa e segura viagem, sem nenhum problema com acidentes por falta de supervisão de alinhamento balanceamento e cambagem e outros cuidados.

    1 – Caixa de transporte

    Um dos principais motivos que estressam os pets em viagens é terem que ficar trancados em caixas de transportes. Principalmente quando eles nunca ficaram antes por muitas horas ou em movimento.

    Veterinários aconselham que, para ajudar a diminuir ou eliminar esse estresse, os tutores façam uma espécie de treinamento alguns dias antes da viagem.

    Apenas para ele se acostumar a ficar dentro da caixa sem ficar nervoso e sem se estressar, o que pode machucar até a ele mesmo.

    Para saber qual é o tamanho ideal e mais indicado para o seu pet, é necessário seguir as orientações dos vendedores da loja onde está comprando a caixa de transporte ou até mesmo do veterinário, que poderá dizer a mais adequada e o motivo.

    2 – Cinto de segurança

    No caso de viagens de carro, além de garantir um eficiente cilindro 10m3 gnv para viajar em segurança, é necessário manter o pet preso para não distrair o motorista e não causar nenhum tipo de acidente possível.

    Em caso de cães muito agitados, que já estejam acostumados com caixas de transporte ou que fizeram o processo descrito anteriormente, recomenda-se fazer o uso das mesmas para deixá-lo mais confortável.

    O que importa é mantê-lo seguro, estando com um cinto de segurança específico para pets ou dentro de uma caixa de transporte confortável e nunca em hipótese alguma solto dentro do veículo.

    3 – Hora do descanso

    Veterinários recomendam também que, dependendo do tempo da viagem, sejam feitas algumas paradas na estrada para que o pet consiga fazer as necessidades.

    Assim como ter um tempo para esticar as patinhas andando um pouco, fazer sua refeição e beber água fresca.

    Isso é importante se o tempo estiver quente ou abafado demais, e uma dica interessante é molhar toalhas com água gelada e passar no corpinho do pet para ajudá-lo a se refrescar um pouco mais.

    Leia também o artigo sobre a Praia de Grumari.

    4 – Mala com os itens essenciais

    Separar uma bolsa ou mala com os itens essenciais do seu pet é importante para garantir que ele fique bem e se sinta em casa, mesmo estando em outro lugar.

    Além dos itens básicos, como a ração e sua caminha, é possível incluir os brinquedos favoritos do animal e outros itens de casa que ele goste, como cobertores e tapetes.

    É importante também levar a carteirinha de vacinação para mostrar em hotéis, que muitas vezes exigem, e sacolinhas para recolher as fezes em passeios.

    5 – Separe os medicamentos

    Mesmo que não seja uma viagem muito longa, alguns animais não gostam muito de passar mais do que alguns minutos dentro de um veículo em movimento.

    Por isso, é indicado o uso de calmantes para ajudar a mantê-los bem durante o percurso. Claro que o uso desses medicamentos devem ser feitos sempre com a prescrição de um médico veterinário.

    6 – Supervisão de médicos

    Alguns lugares e hotéis, exigem que o animal passe por um tipo de quarentena sobre a supervisão de médicos veterinários para garantir que o pet não leve nenhuma doença ao local de viagem, principalmente se for internacional.

    É importante ter um atestado dado pelo seu veterinário de confiança alegando a boa saúde do pet, e levá-lo sempre com você.

    7 – Vacinação em dia

    A carteira de vacinação é fundamental em qualquer ocasião, não apenas apenas viagens, pois nunca se sabe em que momento o pet poderá precisar de consultas urgentes.

    No caso de viagens, um novo local pode acabar causando alguma má reação no organismo do animal, deixando-o doente, portanto, deixar as vacinas em dia antes da viagem é de extrema importância.

    8 – Pet sempre a vista

    É importante estar sempre de olho no seu pet, tanto no percurso quanto no local em si, para garantir que ele não se perca em um lugar desconhecido.

    Por isso, o uso de dispositivos como gps para cachorro ou outros animais são muito recomendados em caso de viagens em família com o seu animalzinho.

    9 – Alimentação

    É recomendado alimentar o pet pelo menos 3 horas antes de iniciar uma viagem para não causar enjoos e prejudicar a digestão do seu peludo.

    Mas para uma viagem que leve mais do que 3 horas, é recomendado fazer paradas para alimentá-lo pelo menos a cada 3 horas.

    10 – Checklist emergencial

    Além de garantir a cnh renovação para poder viajar com tranquilidade, é necessário pesquisar com antecedência os hospitais veterinários mais próximos, tanto nos caminhos da viagem quanto no local que os tutores ficaram hospedados.

    Isso é indispensável porque, no caso de uma emergência com o pet, será possível saber onde levá-lo e garantir que ele seja atendido o mais rápido possível.

    Considerações finais

    Para viajar com seu melhor amigo, é necessário pensar no seu conforto e segurança, pois eles merecem todo o cuidado, carinho e atenção do mundo.

    Seguindo algumas dicas básicas, mas importantes, é possível garantir essa segurança na sua viagem, fazendo que não só a sua família mas também o seu pet tenham ótimas experiências.

    Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.